segunda-feira, 17 de abril de 2017

///

analograma

poéticos explicativos
poéticos & explicativos
quando espera-se a locomotiva
olha-se sempre de onde ela vem
nunca para onde ela vai
físico expandido
físico & expandido

Gaspar quer entender como os computadores funcionam.

vamos fechar a ponte Rio-Niterói
vamos fechar a ponte Rio-Niterói para uma corrida de bike
o tempo performance não é reproduzível em nenhuma mídia

não consigo tirar os olhos

Gaspar sempre dança mais do que as outras pessoas.

no dia 3 de maio percebo que robôs não tem sobrancelhas
que os relógios digitais foram criados para o HomemDoEspaço
que apartamentos em leilão vivem o limbo das relações entre seus moradores

tenho pressa no seu tempo
tenho pressa & no seu tempo

Gaspar pedala a bicicleta enquanto fuma um cigarro.

a linguagem gráfica se diferencia da linguagem falada por sua capacidade de representar de mostrar de fazer presente aos olhos e à memória coisas ausentes que estão em outro lugar e outro tempo

objetos artificiais
composições elétricas
fibras eletrônicas

a / reflexão / é / feita / de / paralelos

quinta-feira, 27 de outubro de 2016


eu e você numa mesa de bar jogamos o jogo dos copos. eu escondo nossos olhos antes do jogo pra você não roubar. te dou de prêmio a visão. embaralho os copos, puxo o da esquerda pra direita, confundo o do centro pro lado, dá vontade de recolher o preço da jogada e esconder atrás das costas, mas não, remexo tudo outra vez, tento acompanhar o certo, já perdi. perdemos. jogar não é pra nós. jogar não é. não. tu escolhe um copo. são três minutos de tensão. recolho o tempo o máximo que dá embaixo da venda do esquema copocuniano. você acerta. mas só eu sinto. sei que ganhastes. não quero. não quero que seja assim. somente eu sei da sua vitória. escondo a derrota. passam dois dias. te escrevo um e-mail sem assunto: vc volta? o safari não pode abrir a página. o aplicativo do inbox não manda mensagem. não entendo. na quinta tentativa a pergunta é enviada. ENVIADO. me arrependo. não sei o que é mas algo me deixa presa a ti. entrego teus olhos. preciso que enxergues. quero que me vejas. você não responde. eu odeio jogos.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

It is no longer time for big heroes

We need to talk about sardines
Foi o que escrevi a ele no quarto contato com Frank O’Hara e enviei
We need to talk about sardines & oranges & about how am I suppose to be an artist if my pleasure is to write
Far from any other cosmic object, CX330 is the loneliest young star seen on the cosmic road
Precisamos falar sobre a dimensão do cosmos e dos corriqueiros impactos da terceira dimensão
Precisamos falar sobre materialismo e vitalismo em Deleuze, dessa vez em português, ainda estou bastante confusa. Não sei se entendi
Eu quis dizer a ele após 8 noites sem a sua presença fumando quantos cigarros fossem possíveis
Lendo sobre o fim da missão espacial da sonda Rosetta no cometa onde vive um robô em eterna hibernação
Sabendo que as correntes de água e ar estão terrivelmente entrelaçadas e que essa pode ser a causa para as mudanças concorrentes de clima e temor
Eu, consciente do acaso
Após os vizinhos chamarem a polícia por causa de uma briga na rua às duas da manhã

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Impossible triangle

85 kg de canetas BIC
Tua ausência é tão violenta quanto tua presença

A cidade agrupa-se em 11 categorias distintas
São elas formatos ditados pelo sem-rumo à ambiguidade e pela arte in situ.
Permaneço num estado de simetria sobre a superfície citadina
Exponho a organização da desordem elevada a sua raíz
Enquadro pessoas no centro de planos –
um desenho para pairar entre categorias.
Meu estado de consciência modificado expõe as fundações de museus.
Caminhando entre as dimensões que rasgam a cidade em infinitos
colho os frutos da lezíria:
Eu querer ver
faz-me ver o que quero.
A sensação de água subindo pelo nariz acusa o peito
– O Mar do norte é muito raso e violento –
titubeio para compreender meu modelo de mundo &
faço experimentos como o daquele cientista norte-americano
que explica às crianças que a vespa sempre volta a buscar a esperança no mesmo lugar.
A dimensão dos fatos isola quem se contém:
tudo será tão patético que não vale a pena comentar.
Quem constrói barcos entende bem de rigidez e flexibilidade.
O plural das veredas nos afasta
Somos 2 coisas reais num local irreal com funções extremamente paralelas
Incabíveis em qualquer espelho até que se nomeie e categorize
Perdidos entre fluidos
nem Por contato nem Por semelhança a magia se dá por completo.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

deu nos jornais

são 6 912 idiomas no mundo anunciando hoje
a detecção quase inédita de dobras no espaço

segunda-feira, 23 de maio de 2016

cheguei de são paulo com os gritos de fora temer ainda ecoando do palco da Julio Prestes
estou no centro do rio
vlt em movimento na cidade
fase de testes
ninguém aguenta mais obras
toca um sino pra alertar os pedestres perdidos no movimento dos trilhos
consigo um ônibus lotado
pago o motorista-cobrador enquanto ele dirige&confere o troco
a segunda de chuva atravessa o aterro cabisbaixa
na esquina a obra do metrô atrasada me lembra q em agosto tem megaevento
ficam os pescadores no canal, sobra o tapume atrás de um carro
"por que chamam golpe de estado de impeachment?" escrito no leblon
um arrepio me sobe os braços